Monthly Archives: Março 2014

Photo Finish: Os vencedores do Oscar Challenge 2014

Oscar Challenge 2014 Vencedores

Numa noite de Óscares em que a competição de talentos estava um nível sem precedentes, acaba por ser adequado que o talento no jogo das previsões se tenha também agigantado. Assim, a competição foi feroz e temos, no topo, um empate. Carla Anes e Zé Mendes são os grandes vencedores da edição deste ano do Oscar Challenge do “Na Rota dos Óscares”, acumulando 162 pontos – em 166 possíveis! E isto com a curiosidade de terem votado exatamente igual em todas as categorias.

Como se isso já não fosse impressionante o suficiente, tivemos um empate também nas duas seguintes posições, com André Simões e Miguel Cruz a ficarem a apenas um ponto de distância dos vencedores e apresentando também boletins de voto exatamente iguais – coincidindo até na única categoria em que votaram em dois possíveis vencedores (Melhor Montagem). O corte de três pontos que tiveram nessa decisão estratégica acabou por fazê-los morrer na praia – dado que até acertaram mais categorias que os vencedores (um ridículo número de 23 em 24 categorias). A fechar um pódio alargado de excelência, temos Frederico Formigal, que ficou em 5º lugar com 160 pontos, a apenas dois pontos da dupla vencedora.

Para se ter uma ideia de como este ano foi especialmente incrível a nível da precisão nas previsões, os dois líderes do ano passado (Inês Moreira Santos e este que vos escreve) tiveram uma subida considerável na sua pontuação e acabaram por descer para a 11ª e 9ª posições, respectivamente. A média de pontuações este ano subiu meteoricamente para 112 pontos, com uma média de 15 categorias acertadas por concorrente.

Em suma, foi um ano impressionante e o desafio foi lançado para o “Na Rota dos Óscares” para se portar melhor na sua própria competição no próximo ano. Assim, sem mais demoras, parabéns aos vencedores e segue a lista completa dos mesmos:

 

1a – Carla Anes: 162 pontos (22/24)

1b – Zé Mendes: 162 pontos (22/24)

3a – André Simões: 161 pontos (23/24) (uma categoria com resposta dupla)

3b – Miguel Cruz: 161 pontos (23/24) (uma categoria com resposta dupla)

5 – Frederico Formigal: 160 pontos (21/24)

6 – Filipe Marcelino: 152 pontos (20/24)

7 – André Ferreira: 150 pontos (19/24)

8 – Sara Quelhas: 146 pontos (20/24)

9 – Pedro Quedas: 144 pontos (19/24)

10 – Filipa Machado 140 pontos (18/24)

11 – Inês Moreira Santos: 140 pontos (17/24)

12 – Filipe Carvalho: 130 pontos (17/24)

13 – Marisa Figueiredo: 124 pontos (17/24)

14 – Rita Carmo: 114 pontos (14/24)

15 – Paulo Quedas: 97 pontos (14/24) (duas categorias com resposta dupla)

16 – Pedro Filipe: 94 pontos (10/24)

17 – Gustavo Amaral: 78 pontos (11/24)

18 – Nélia Silva: 76 pontos (11/24)

19 – Tiago Gomes: 76 pontos (10/24)

20 – Nádia Pinto: 74 pontos (8/24)

21 – Zé Nuno Batista: 64 pontos (10/24)

22 – Débora Cambé: 62 Pontos (11/24)

23 – Raquel Martins: 60 pontos (9/24)

24 – Sofia Marta: 48 pontos (7/24)

25 – Sara Fernandes: 32 pontos (4/24)

Pedro Quedas

6 comentários

Filed under Em Análise

Dos pequenos grandes triunfos: “12 Years a Slave” vence nos Óscares

12 Years a Slave

Depois de uma noite de grande expectativa e uma das corridas ao Melhor Filme mais apertadas da memória recente, “12 Years a Slave”, de Steve McQueen, saiu como o grande vencedor desta edição dos Óscares. O brilhante, duro e desconfortável drama anti-esclavagista saiu no topo de uma das melhores fornadas de cinema de Hollywood nos últimos anos, fechando a noite com três Óscares. Foi uma vitória, deve ser dito, em que a alegria de cada triunfo (individual e coletivo) foi sempre temperada pela sombra dos eventos reais que permitiram a existência desta obra. Uma pequena lembrança que, mesmo quando ofuscados pelas luzes da ribalta, devemos ter sempre noção do que é verdadeiramente importante.

Já na categoria de Melhor Realizador o vencedor foi o mexicano Alfonso Cuarón, que já tinha sido muito elogiado pelo seu trabalho em “Gravity” e tinha o seu filme como principal “rival” à vitória de “12 Years a Slave”. O seu épico espacial, ainda assim, acumulou uma avalanche de outros Óscares, especialmente nas categorias técnicas, com um total de sete Óscares. As exceções foram as vitórias de “The Great Gatsby” em Melhor Guarda-Roupa e Melhor Direção Artística.

Numa cerimónia que correu com uma desenvoltura agradável (essencial para se aguentar a obrigatoriamente longa duração do evento – de apontar positivamente terem deixado os vencedores falar sem música a interrompê-los), o que faltou, para tristeza de alguns, foi grandes surpresas. Na maioria dos galardões principais, ganhou o “favorito”. Assim, nas categorias dos atores e atrizes, correu tudo essencialmente como esperado, com os altamente favoritos Matthew McConaughey (Melhor Ator Principal), Cate Blanchett (Melhor Atriz Principal) e Jared Leto (Melhor Ator Secundário) a conquistarem as estatuetas que muitos contavam estarem-lhes “reservadas”. Na categoria de performance restante, a “luta” entre Jennifer Lawrence e Lupita Nyong’o pelo Óscar de Melhor Atriz Secundária terminou com uma vitória da fenomenal performance da jovem atriz que deu vida à escrava Patsey e deixou com o coração nas mãos todos os que viram “12 Years a Slave”.

Nas categorias de argumento, onde podia haver mais incerteza, a dúvida manteve-se ao fim e acabou por ser dissipada com uma vitória (mais que merecida) de Spike Jonze pelo genial argumento de “Her” na categoria de Melhor Argumento Original. Já o Óscar de Melhor Argumento Adaptado foi parar às mãos de John Ridley, pelo seu trabalho no poderoso texto de “12 Years a Slave”.

De notar também uma noite feliz para a Disney, que viu “Frozen” acumular Óscares de Melhor Filme de Animação e Melhor Canção Original. “The Great Beauty”, de Paolo Sorrentino, saiu vencedor na categoria de Melhor Filme Estrangeiro e “20 Feet of Stardom” arrecadou o Óscar de Melhor Documentário, com a sua belíssima história sobre as estrelas da música que nunca o são por viverem apenas uns metros atrás dos holofotes.

A fechar este balanço de uma noite recheada de incrível cinema, fica a lista completa dos vencedores:

Melhor Filme

“12 Years a Slave”

Melhor Realizador

Alfonso Cuarón, “Gravity”

Melhor Ator Principal

Matthew McConaughey, “Dallas Buyers Club”

Melhor Atriz Principal

Cate Blanchett, “Blue Jasmine”

Melhor Ator Secundário

Jared Leto, “Dallas Buyers Club”

Melhor Atriz Secundária

Lupita Nyong’o, “12 Years a Slave”

Melhor Argumento Adaptado

“12 Years a Slave”, John Ridley

Melhor Argumento Original

“Her”, Spike Jonze

Melhor Fotografia

“Gravity”, Emmanuel Lubezki

Melhor Montagem

“Gravity”, Alfonso Cuarón e Mark Sanger

Melhor Filme de Animação

“Frozen”

Melhor Filme Estrangeiro

“The Great Beauty”, Itália

Melhor Banda Sonora Original

“Gravity”, Steven Price

Melhor Música Original

“Let It Go” de “Frozen”

Melhor Direção Artística

“The Great Gatsby”

Melhor Guarda-Roupa

“The Great Gatsby”

Melhor Caracterização

“Dallas Buyers Club”

Melhor Documentário

“20 Feet from Stardom”

Melhor Documentário, Curta-Metragem

“The Lady in Number 6: Music Saved My Life”

Melhor Curta-Metragem, Animação

“Mr. Hublot”

Melhor Curta-Metragem, Live Action

“Helium”

Melhor Montagem de Som

“Gravity”

Melhor Mistura de Som

“Gravity”

Melhores Efeitos Visuais

“Gravity”

Pedro Quedas

Deixe um comentário

Filed under Em Análise