Tag Archives: Mad Max

A arte no caos: “Mad Max Fury Road”

Mad Max Fury Road

Classificação: 9/10

Nomeações: 10 (Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Fotografia, Melhor Montagem, Melhor Direção Artística, Melhor Guarda-Roupa, Melhor Caracterização, Melhor Montagem de Som, Melhor Mistura de Som, Melhores Efeitos Visuais)

 

Como é possível que um filme puro de ação seja uma das mais interessantes visões artísticas deste ano cinematográfico? Que uma história fundada no estereótipo clássico do anti-herói másculo e solitário tenha uma tão profunda mensagem feminista? Que um filme tão económico nas palavras consiga criar um subtil mas complexo novo mundo, povoado de singulares mitologias? “Mad Max: Fury Road” é tudo isto e muito mais. É um triunfo de execução que está tudo menos vazio de ideias. É, muito simplesmente, um dos melhores filmes do ano.

A história acompanha a viagem de “Mad Max” Rockatanski, um sobrevivente do holocausto nuclear, a tentar sobreviver num deserto pós-apocalíptico onde água e gasolina são bens raros e que motivam enormes guerras por controlo dos recursos entre gangues rivais com comportamentos… peculiares. Ou antes, esta é a história normal dos três primeiros filmes no “franchise”. Desta feita, George Miller presenteia-nos com algo um pouco diferente.

Neste filme, o estoico Max Rockatanski (impecavelmente interpretado por Tom Hardy) não é tanto o omnipresente herói da história quanto é o parceiro relutante de Imperator Furiosa, a verdadeira líder desta narrativa. Furiosa é encarnada por uma Charlize Theron que imbui a complexa personagem de uma força interior raramente vista (infelizmente) na maioria das personagens femininas em filmes de ação. É uma mulher determinada em vingar num mundo controlado por homens que nunca se deixa cair em clichés. A sua raiva é justificada, a sua luta é nobre, a sua força é incomparável.

Também crucial ao sucesso deste filme é o modo como Imperator Furiosa e “Mad Max” desenvolvem uma relação de profunda intimidade ao longo do filme. Com poucos diálogos, sem beijos ao pôr-do-sol ou declarações épicas de amor eterno. Para um filme tão bombástico, não deixa de ser curioso com uma das suas maiores forças é a subtileza. Subtileza no modo como as personagens evoluem e, ainda mais, no modo como o mundo da narrativa é construído. Bons filmes não precisam de longos diálogos expositivos para envolver o telespetador num futuro alternativo movido a “guzoline”.

Seria fácil criticar este filme por não ser mais que uma longa perseguição de carros para um lado – seguida de uma longa perseguição de carros para outro. Até certo ponto… é o que este filme é. Uma aparentemente interminável corrida numa tapeçaria de caos. Mas há arte neste caos, há génio na orquestração deste ballet de violência. Todas as nomeações “técnicas” que este filme conseguiu são completamente merecidas, mas fluem integralmente da mente brilhante de onde nasceu esta bizarra e improvável aventura. O veterano realizador australiano não perdeu nem um pouco do seu rasgo e irreverência com os seus 70 anos. Se o futuro é dos jovens, ninguém avisou George Miller.

 

Pedro Quedas

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Críticas

“The Revenant” e “Mad Max: Fury Road” lideram as nomeações aos Óscares

Nomeações Óscares 2016

Depois do sucesso incrível que teve o ano passado com “Birdman”, Alejandro G. Iñárritu volta à carga com “The Revenant”, liderando as nomeações aos Óscares com 12. Segue-se o incomparavelmente frenético “Mad Max: Fury Road”, de George Miller, com 10 nomeações. A completar o “pódio”, temos de “The Martian”. O filme de Ridley Scott arrecadou 7 nomeações. As grandes surpresas desta lista foram a exclusão de “Carol”, de Todd Haynes, dos nomeados a Melhor Filme e a inclusão de Lenny Abrahamson (“Room”) nos nomeados a Melhor Realizador.

Segue a lista completa dos nomeados:

 

Melhor Filme

“The Big Short”

“Bridge of Spies”

“Brooklyn”

“Mad Max: Fury Road”

“The Martian”

“The Revenant”

“Room”

“Spotlight”

Melhor Realizador

Adam McKay, “The Big Short”

George Miller, “Mad Max: Fury Road”

Alejandro G. Iñárritu, “The Revenant”

Lenny Abrahamson “Room”

Tom McCarthy, “Spotlight”

Melhor Ator Principal

Bryan Cranston, “Trumbo”

Matt Damon, “The Martian”

Leonardo DiCaprio, “The Revenant”

Michael Fassbender, “Steve Jobs”

Eddie Redmayne, “The Danish Girl”

Melhor Atriz Principal

Cate Blanchett, “Carol”

Brie Larson, “Room”

Jennifer Lawrence, “Joy”

Charlotte Rampling, “45 Years”

Saoirse Ronan, “Brooklyn”

Melhor Ator Secundário

Christian Bale, “The Big Short”

Tom Hardy, “The Revenant”

Mark Ruffalo, “Spotlight”

Mark Rylance, “Bridge of Spies”

Sylvester Stallone, “Creed”

Melhor Atriz Secundária

Jennifer Jason Leigh, “The Hateful Eight”

Rooney Mara, “Carol”

Rachel McAdams, “Spotlight”

Alicia Vikander, “The Danish Girl”

Kate Winslet, “Steve Jobs”

Melhor Argumento Adaptado

Adam McKay e Charles Randolph, “The Big Short”

Nick Hornby, “Brooklyn”

Phyllis Nagy, “Carol”

Drew Goddard, “The Martian”

Emma Donoghue, “Room”

Melhor Argumento Original

Matt Charman, Joel & Ethan Coen, “Bridge of Spies”

Alex Garland, “Ex Machina”

Pete Docter, Meg LeFauve e Josh Cooley, “Inside Out”

Tom McCarthy e Josh Singer, “Spotlight”

Andrea Berloff e Jonathan Herman, “Straight Outta Compton”

Melhor Fotografia

“Carol”, Ed Lachman

“The Hateful Eight”, Robert Richardson

“Mad Max: Fury Road”, John Seale

“The Revenant”, Emmanuel Lubezki

“Sicario”, Roger Deakins

Melhor Montagem

“The Big Short”, Hank Corwin

“Mad Max: Fury Road”, Margaret Sixel

“The Revenant”, Stephen Mirrione

“Spotlight”, Tom McArdle

“Star Wars: The Force Awakens”, Maryann Brandon e Mary Jo Markey

Melhor Filme de Animação

“Anomalisa”, Duke Johnson e Charlie Kaufman

“Boy And The World”, Alê Abreu

“Inside Out”, Pete Docter e Ronnie Del Carmen

“Shaun the Sheep”, Mark Burton e Richard Starzak

“When Marnie Was There”, Hiromasa Yonebayashi

Melhor Filme Estrangeiro

“Embrace of the Serpent”, Colombia

“Mustang”, France

“Son of Saul”, Hungary

“Theeb”, Jordan

“A War”, Denmark

Melhor Banda Sonora Original

“Bridge of Spies”, Thomas Newman

“Carol”, Carter Burwell

“The Hateful Eight”, Ennio Morricone

“Sicario”, Jóhann Jóhannsson

“Star Wars: The Force Awakens”, John Williams

Melhor Música Original

“Earned It” de “Fifty Shades of Grey”

“Til It Happens To You” de “The Hunting Ground”

“Writings on the Wall” de “Spectre”

“Manta Ray” de “Racing Extinction”

“Simple Song #3” de “Youth”

Melhor Direção Artística

“Bridge of Spies”

“The Danish Girl”

“Mad Max: Fury Road”

“The Martian”

“The Revenant”

Melhor Guarda-Roupa

“Carol”

“Cinderella”

“The Danish Girl”

“Mad Max: Fury Road”

“The Revenant”

Melhor Caracterização

“The 100-Year-Old Man Who Climbed out the Window and Disappeared”

“Mad Max: Fury Road”

“The Revenant”

Melhor Documentário

“Amy”

“Cartel Land”

“The Look of Silence”

“What Happened, Miss Simone?”

“Winter on Fire”

Melhor Documentário, Curta-Metragem

“Body Team 12”

“Chau Beyond the Lines”

“Claude Lanzmann”

“A Girl in the River”

“Last Day of Freedom”

Melhor Curta-Metragem, Animação

“Bear Story”

“Prologue”

“Sanjay’s Super Team”

“We Can’t Live Without Cosmos”

“World of Tomorrow”

Melhor Curta-Metragem, Live Action

“Ave Maria”

“Day One”

“Everything Will Be Okay”

“Shok”

“Stutterer”

Melhor Montagem de Som

“Mad Max: Fury Road”

“The Martian”

“The Revenant”

“Sicario”

“Star Wars: The Force Awakens”

Melhor Mistura de Som

“Bridge of Spies”

“Mad Max: Fury Road”

“The Martian”

“The Revenant”

“Star Wars: The Force Awakens”

Melhores Efeitos Visuais

“Ex-Machina”

“Mad Max: Fury Road”

“The Martian”

“The Revenant”

“Stars Wars: The Force Awakens”

 

Pedro Quedas

Deixe um comentário

Filed under Em Análise