Tag Archives: Previsões

E o Óscar vai para… – Previsões oficiais dos Óscares de 2016

Previsões Finais

Desde que comecei a fazer este desafio com os meus leitores que nunca tive tantas dúvidas quanto às minhas escolhas na categoria que mais interessa acertar – Melhor Filme. Como sempre, temos algumas categorias mais óbvias (*cough*DiCaprio*cough*) e outras que nos deixam com a cabeça a doer, mas é esse o prazer masoquista de tentar fazer estas previsões. Esta é uma noite em que antevejo “The Revenant” sair como o grande vencedor, mas com o mesmo número de Óscares de “Mad Max: Fury Road”. Seja como for, será uma noite com suspense até ao último segundo. Assim, a minha maior previsão é que as empresas portuguesas na próxima segunda-feira vão estar povoadas por um número inusitado de zombies com insónias. Sem mais demoras, as minhas previsões:

 

Melhor Filme

“The Big Short”

“Bridge of Spies”

“Brooklyn”

“Mad Max: Fury Road”

“The Martian”

“The Revenant” – As minhas previsões começam com, provavelmente, a corrida mais difícil de prever em toda a competição. “Spotlight” começou a “corrida” como o claro favorito – e conta com vitórias nos prémios dos argumentistas e, acima de tudo, o prémio de Melhor Elenco do sindicato dos atores (normalmente, um excelente indicador para Melhor Filme, dado que a classe mais representada dos membros da Academia são os atores). Depois temos “The Big Short”, que também foi premiado pelo seu argumento e foi o surpreendente vencedor do prémio do sindicato dos produtores, uma das melhores “bolas de cristal” para o grande prémio. E, no entanto, eu acho que, nesta corrida incrivelmente apertada a três, vai ganhar “The Revenant”. Durante toda a corrida hesitei em aceitar que a Academia iria premiar o mesmo realizador dois anos seguidos (algo que não acontece desde os anos 50 – se ganhar Melhor Filme e Melhor Realizador dois anos seguidos, Alejandro G. Iñárritu será o primeiro a fazê-lo), mas o “momentum” está todo do lado dele, depois de vitórias nos Golden Globes, nos BAFTA e, acima de tudo, depois de Iñárritu ter saído vencedor no duelo dos prémios dos realizadores. É a escolha mais difícil da noite, mas acredito que se vai fazer história nestes Óscares.

“Room”

“Spotlight”

Melhor Realizador

Adam McKay, “The Big Short”

George Miller, “Mad Max: Fury Road”

Alejandro G. Iñárritu, “The Revenant” – Embora não possamos necessariamente dizer que esteja entregue, este prémio será um pouco mais fácil de prever. Apenas dois dos nomeados estão verdadeiramente na luta e um deles tem arrecadado todos os prémios relevantes a caminho dos Óscares. Seria muito interessante ver um veterano como George Miller ganhar a estatueta pelo seu inspirado trabalho num dos mais desconcertantes e originais filmes de pura ação das últimas décadas, mas não vejo outra pessoa a ganhar que não Alejandro G. Iñárritu. Mesmo com a “desvantagem” de alguns votantes poderem achar excessivo ele ganhar dois Óscares seguidos, o realizador mexicano é o claro favorito.

Lenny Abrahamson “Room”

Tom McCarthy, “Spotlight”

Melhor Ator Principal

Bryan Cranston, “Trumbo”

Matt Damon, “The Martian”

Leonardo DiCaprio, “The Revenant” – Antes de voltarmos às dores de cabeça, vamos fazer uma pequena pausa para atribuirmos alguns dos prémios mais óbvios da noite. Leonardo DiCaprio vai ganhar o Óscar. Vou repetir, para que fique bem claro. Leonardo DiCaprio vai ganhar o Óscar. Está entregue. Principalmente num ano em que a concorrência não está especialmente feroz. A haver alguma surpresa, eu colocaria o meu dinheiro em Matt Damon, mas não vai haver nenhuma surpresa. Leonardo DiCaprio vai ganhar o Óscar. O único elemento de surpresa aqui será a quem vai agradecer no discurso.

Michael Fassbender, “Steve Jobs”

Eddie Redmayne, “The Danish Girl”

Melhor Atriz Principal

Cate Blanchett, “Carol”

Brie Larson, “Room” – Embora a narrativa de “finalmente vamos poder-lhe dar o Óscar que tanto merece” não esteja tão presente aqui, também Brie Larson tem a passadeira vermelha estendida para o prémio. O seu papel central na principal surpresa do ano, o poderoso “Room”, tem sido premiado ao longo de toda a temporada “oscariana” e não há qualquer razão para achar que vai acontecer de outra forma. A possibilidade de haver uma surpresa nesta categoria é um pouco maior que na de Ator Principal, mas continua a ser minúscula. A acontecer, seria com Saoirse Ronan, mas não acredito, de todo, que vá acontecer.

Jennifer Lawrence, “Joy”

Charlotte Rampling, “45 Years”

Saoirse Ronan, “Brooklyn”

Melhor Ator Secundário

Christian Bale, “The Big Short”

Tom Hardy, “The Revenant”

Mark Ruffalo, “Spotlight”

Mark Rylance, “Bridge of Spies”

Sylvester Stallone, “Creed” – Nas categorias de atores e atrizes, nenhuma corrida é mais apertada que esta. Este ano torna-se ainda mais difícil de prever, dado que o sindicato dos atores premiou Idris Elba, em “Beasts of No Nation”. Assim, o que escolher? Tanto Mark Ruffalo como Mark Rylance têm óptimas possibilidades de roubar este prémio, mas estou em crer que a Academia não vai conseguir resistir a fechar o conto de fadas musculado que tem sido a vida e carreira de Sylvester Stallone com a chave de ouro de um Óscar. É essa a minha previsão mas, se querem ganhar um concurso de apostas com uma escolha meio fora e tentar acertar no “upset” na noite, esta é a categoria para arriscar.

Melhor Atriz Secundária

Jennifer Jason Leigh, “The Hateful Eight”

Rooney Mara, “Carol”

Rachel McAdams, “Spotlight”

Alicia Vikander, “The Danish Girl”Rooney Mara está ali à espreita para fazer uma surpresa. Kate Winslet era a favorita no início da “campanha” e conta com um Golden Globe e um BAFTA na sua sacola. Mas, principalmente após a sua vitória junto do sindicato dos atores, a grande favorita à vitória é Alicia Vikander. A atriz sueca, que também esteve em grande destaque este ano em “Ex Machina”, teve uma das performances mais vistosas dentro desta categoria e está claramente na liderança. O que é questionável é que o seu papel ou de Rooney Mara sejam “secundários”, mas as maquinações da indústria para chegar aos Óscares são todo um outro texto que poderia ser escrito.

Kate Winslet, “Steve Jobs”

Melhor Argumento Adaptado

Adam McKay e Charles Randolph, “The Big Short” – Esta é uma categoria onde não há falta de bons argumentos, mas antes falta de concorrentes credíveis à vitória. “The Big Short” chega a esta categoria com três grandes fatores que indicam o seu favoritismo. Primeiro, saiu vencedor nos prémios do sindicato dos argumentistas. Segundo, tem sido (justamente) elogiado pelo modo como conseguiu tornar as complexas maquinações financeiras que originaram a crise num texto dinâmico, fácil de compreender e até, a espaços, divertido. Por fim, se se confirmar a vitória de “The Revenant” como Melhor Filme, os membros da Academia deverão encarar esta estatueta como um bom prémio de consolação.

Nick Hornby, “Brooklyn”

Phyllis Nagy, “Carol”

Drew Goddard, “The Martian”

Emma Donoghue, “Room”

Melhor Argumento Original

Matt Charman, Joel & Ethan Coen, “Bridge of Spies”

Alex Garland, “Ex Machina”

Pete Docter, Meg LeFauve e Josh Cooley, “Inside Out”

Tom McCarthy e Josh Singer, “Spotlight” – Outro argumento que, sendo na mesma excelente, deverá ganhar mais como consolação pela derrota na estatueta mais cobiçada. O facto de ter ganho junto das premiações dos argumentistas cimenta ainda o seu estatuto de liderança nesta “corrida”. O maior concorrente que Tom McCarthy e Josh Singer vão, provavelmente, enfrentar será o brilhante texto do aclamado “Inside Out”, mas, dado que um filme de animação nunca saiu vencedor em qualquer categoria de Melhor Argumento, esta é uma hipótese muito, muito remota.

Andrea Berloff e Jonathan Herman, “Straight Outta Compton”

Melhor Fotografia

“Carol”, Ed Lachman

“The Hateful Eight”, Robert Richardson

“Mad Max: Fury Road”, John Seale

“The Revenant”, Emmanuel Lubezki

“Sicario”, Roger Deakins

Melhor Montagem

“The Big Short”, Hank Corwin

“Mad Max: Fury Road”, Margaret Sixel

“The Revenant”, Stephen Mirrione

“Spotlight”, Tom McArdle

“Star Wars: The Force Awakens”, Maryann Brandon e Mary Jo Markey

Melhor Filme de Animação

“Anomalisa”, Duke Johnson e Charlie Kaufman

“Boy And The World”, Alê Abreu

“Inside Out”, Pete Docter e Ronnie Del Carmen

“Shaun the Sheep”, Mark Burton e Richard Starzak

“When Marnie Was There”, Hiromasa Yonebayashi

Melhor Filme Estrangeiro

“Embrace of the Serpent”, Colombia

“Mustang”, France

“Son of Saul”, Hungary

“Theeb”, Jordan

“A War”, Denmark

Melhor Banda Sonora Original

“Bridge of Spies”, Thomas Newman

“Carol”, Carter Burwell

“The Hateful Eight”, Ennio Morricone

“Sicario”, Jóhann Jóhannsson

“Star Wars: The Force Awakens”, John Williams

Melhor Música Original

“Earned It” de “Fifty Shades of Grey”

“Til It Happens To You” de “The Hunting Ground”

“Writings on the Wall” de “Spectre”

“Manta Ray” de “Racing Extinction”

“Simple Song #3” de “Youth”

Melhor Direção Artística

“Bridge of Spies”

“The Danish Girl”

“Mad Max: Fury Road”

“The Martian”

“The Revenant”

Melhor Guarda-Roupa

“Carol”

“Cinderella”

“The Danish Girl”

“Mad Max: Fury Road”

“The Revenant”

Melhor Caracterização

“The 100-Year-Old Man Who Climbed out the Window and Disappeared”

“Mad Max: Fury Road”

“The Revenant”

Melhor Documentário

“Amy”

“Cartel Land”

“The Look of Silence”

“What Happened, Miss Simone?”

“Winter on Fire”

Melhor Documentário, Curta-Metragem

“Body Team 12”

“Chau Beyond the Lines”

“Claude Lanzmann”

“A Girl in the River”

“Last Day of Freedom”

Melhor Curta-Metragem, Animação

“Bear Story”

“Prologue”

“Sanjay’s Superteam”

“We Can’t Live Without Cosmos”

“World of Tomorrow”

Melhor Curta-Metragem, Live Action

“Ava Maria”

“Day One”

“Everything Will Be Okay”

“Shok”

“Stutterer”

Melhor Montagem de Som

“Mad Max: Fury Road”

“The Martian”

“The Revenant”

“Sicario”

“Star Wars: The Force Awakens”

Melhor Mistura de Som

“Bridge of Spies”

“Mad Max: Fury Road”

“The Martian”

“The Revenant”

“Star Wars: The Force Awakens”

Melhores Efeitos Visuais

“Ex-Machina”

“Mad Max: Fury Road”

“The Martian”

“The Revenant”

“Stars Wars: The Force Awakens”

 

PS: Não se esqueçam de fazer as vossas previsões de quem vai ganhar este ano e participar no Oscar Challenge 2016. Vejam o que têm de fazer clickando aqui.

 

Pedro Quedas

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Em Análise

E os vencedores vão ser…: Previsões oficiais dos Óscares

Image

E aqui estamos. Os filmes foram vistos, as críticas foram escritas, as análises à corrida foram feitas. Já chega de balanços, vamos fazer um pouco de futurologia. Vamos ver quem vai ganhar os Óscares neste domingo. Atentem que eu não estou aqui a dizer quem merece ganhar (isso foi ontem). Hoje é dia de ler as cartas e prever o futuro. Sem mais demoras, os (prováveis) vencedores da 85ª gala dos Óscares:

 

Melhor Filme

“Amour”

“Argo”: Durante muito tempo, “Lincoln” foi o claro favorito nesta categoria (e é ainda o único filme capaz de protagonizar uma possível surpresa), mas, com prémio atrás de prémio atrás de prémio, o filme de Ben Affleck assumiu a clara dianteira e o Óscar mais desejado da noite não lhe deverá escapar. Aquela que foi uma das corridas mais apertadas deve agora estar já basicamente resolvida.

“Beasts of the Southern Wild”

“Django Unchained”

“Les Misérables”

“Life of Pi”

“Lincoln”

“Silver Linings Playbook”

“Zero Dark Thirty”

 

Melhor Actor Principal

Bradley Cooper, “Silver Linings Playbook”

Daniel Day-Lewis, “Lincoln”: Haverá Óscar mais entregue que este? Ou mais justo? Não quer dizer isto dizer que Day-Lewis não tenha tido alguma concorrência de peso (principalmente de Bradley Cooper e Denzel Washington), mas a verdade é que não há qualquer hipótese de ser outro a ganhar. Daniel Day-Lewis vai conquistar o seu terceiro Óscar de Melhor Actor Principal.

Hugh Jackman, “Les Misérables”

Joaquin Phoenix, “The Master”

Denzel Washington, “Flight”

 

Melhor Actriz Principal

Jessica Chastain, “Zero Dark Thirty”

Jennifer Lawrence, “Silver Linings Playbook”: Depois de atrair a atenção da crítica com “Winter’s Bone” (com o qual foi nomeada pela primeira vez para Melhor Actriz Principal) e das massas com o mega-êxito “The Hunger Games”, a jovem actriz deverá coroar um incrível início de carreira com um Óscar. A acontecer uma surpresa, deverá pender para Emmanuelle Riva ou (menos provável) Jessica Chastain.

Emmanuelle Riva, “Amour”

Quvenzhané Wallis, “Beasts of the Southern Wild”

Naomi Watts, “The Impossible”

 

Melhor Actor Secundário

Alan Arkin, “Argo”

Robert De Niro, “Silver Linings Playbook”

Philip Seymour Hoffman, “The Master”

Tommy Lee Jones, “Lincoln”: Uma das maiores incógnitas da cerimónia. Entre Tommy Lee Jones e Christoph Waltz, a Academia deverá basicamente atirar uma moeda ao ar e escolher um deles. Sendo que é quase impossível afirmar com grande certeza quem irá ganhar, algum (muito leve) favoritismo deverá ser atribuído ao veterano norte-americano por ter ganho o prémio do sindicato dos actores.

Christoph Waltz, “Django Unchained”

 

Melhor Actriz Secundária

Amy Adams, “The Master”

Sally Field, “Lincoln”

Anne Hathaway, “Les Misérables”: Outro Óscar que está basicamente entregue. Anne Hathaway teve o desempenho mais marcante do ano, é adorada pelos fãs e pela crítica, já foi nomeada previamente e ganhou basicamente todos os prémios relevantes da sua categoria durante a temporada dos prémios. A Academia não podia estar mais ansiosa para lhe dar a estatueta.

Helen Hunt, “The Sessions”

Jacki Weaver, “Silver Linings Playbook”

 

Melhor Realizador

Michael Haneke, “Amour”

Benh Zeitlin, “Beasts of the Southern Wild”

Ang Lee, “Life of Pi”

Steven Spielberg, “Lincoln”: Se Ben Affleck tivesse sido nomeado nesta categoria, teríamos aqui outra corrida muito apertada (mais ainda que a de Melhor Filme). Como não foi, será mais que esperado que Steven Spielberg arrecade aqui o seu terceiro Óscar de Melhor Realizador, depois das vitórias com “Schindler’s List” e “Saving Private Ryan”. Outra categoria que não deverá trazer grandes surpresas.

David O. Russell, “Silver Linings Playbook”

 

Melhor Argumento Original

Michael Haneke, “Amour”

Quentin Tarantino, “Django Unchained”: Uma das mais emocionantes corridas da noite. Mesmo com a vitória de Mark Boal nos prémios do sindicato dos argumentistas, muitos continuam a acreditar que a Academia considera que já “deve” outra estatueta ao polémico mas brilhante Tarantino, que conquistou o seu último (e único) Óscar com “Pulp Fiction”, em 1994, nesta mesma categoria.

John Gatins, “Flight”

Wes Anderson e Roman Coppola, “Moonrise Kingdom”

Mark Boal, “Zero Dark Thirty”

 

Melhor Argumento Adaptado

Chris Terrio, “Argo”: Outro prémio que está longe de estar entregue. Ainda assim, e apesar de não podermos colocar de parte uma vitória de Tony Kushner, o argumentista de “Argo” deverá aproveitar o ‘buzz’ positivo em volta do filme para agarrar este Óscar, seguindo os passos do realizador Ben Affleck, que também ganhou um Óscar pela primeira longa-metragem que escreveu.

Lucy Alibar e Behn Zeitlin, “Beasts of the Southern Wild”

David Magee, “Life of Pi”

Tony Kushner, “Lincoln”

David O. Russell, “Silver Linings Playbook”

 

Melhor Filme de Animação

“Brave”

“Frankenweenie”

“Paranorman”

“The Pirates! Band of Misfits”

“Wreck-It Ralph”

 

Melhor Filme Estrangeiro

“Amour”, Áustria

“Kon Tiki”, Noruega

“No”, Chile

“A Royal Affair”, Dinamarca

“War Witch”, Canadá

 

Melhor Fotografia

“Anna Karenina”

“Django Unchained”

“Life of Pi”

“Lincoln”

“Skyfall”

 

Melhor Montagem

“Argo”

“Life of Pi”

“Lincoln”

“Silver Linings Playbook”

“Zero Dark Thirty”

 

Melhor Direcção Artística

“Anna Karenina”

“The Hobbit: An Unexpected Journey”

“Les Misérables”

“Life of Pi”

“Lincoln”

 

Melhor Guarda-Roupa

“Anna Karenina”

“Les Misérables”

“Lincoln”

“Mirror Mirror”

“Snow White and the Huntsman”

 

Melhor Caracterização

“Hitchcock”

“The Hobbit: An Unexpected Journey”

“Les Misérables”

 

Melhor Banda Sonora Original

“Anna Karenina”

“Argo”

“Life of Pi”

“Lincoln”

“Skyfall”

 

Melhor Canção Original

Before My Time, “Chasing Ice”

Everybody Needs A Best Friend, “Ted”

Pi’s Lullaby, “Life of Pi”

Skyfall, “Skyfall”

Suddenly, “Les Misérables”

 

Melhor Mistura de Som

“Argo”

“Les Misérables”

“Life of Pi”

“Lincoln”

“Skyfall”

 

Melhor Montagem de Som

“Argo”

“Django Unchained”

“Life of Pi”

“Skyfall”

“Zero Dark Thirty”

 

Melhores Efeitos Visuais

“The Hobbit: An Unexpected Journey”

“Life of Pi”

“Marvel’s The Avengers”

“Prometheus”

“Snow White and the Huntsman”

 

Melhor Documentário

“5 Broken Cameras”

“The Gatekeepers”

“How to Survive a Plague”

“The Invisible War”

“Searching for Sugar Man”

 

Melhor Documentário, Curta-Metragem

“Inocente”

“Kings Point”

“Mondays at Racine”

“Open Heart”

“Redemption”

 

Melhor Curta-Metragem, Animação

“Adam and Dog”

“Fresh Guacamole”

“Head over Heels”

“Maggie Simpson in ‘The Longest Daycare’”

“Paperman”

 

Melhor Curta-Metragem, Live Action

“Asad

“Buzkashi Boys”

“Curfew”

“Death of a Shadow (Dood van een Schaduw)”

“Henry”

 

Pedro Quedas

Deixe um comentário

Filed under Em Análise